I was wrong




                Insana mente que já é profana, no seu demasiar de pensamentos. Mentecapta. Contorcer teu corpo, um dos sintomas da depressão, ou até alegria. Já lhe falhei? Meu coração será retirado de órbita. Ou melhor - se assim posso dizer metaforicamente- já saiu. Bati o olho, ''boom''.
                Como assim? Alguns perguntarão. Pois bem, irei lhe explicar.

Apareceu uma garota na minha vida, veio assim de mansinho
Eu conheci uma guria. Guria linda de se ver
Há tempos não sabia a alegria de viver
Tão linda é a Lua ao contemplar o teu olhar,
Ao ver as estrelas espelhando teu olhar.

Tenacidade. Digo-lhe de novo. Te-na-ci-da-de.
Pertenço-a desde o dia que a vi.

Ah, o drama. E o que faria sem ele?
Se a vida não é um palco, porque não dramatizar?
Essa intensidade me corrói,
Intensidade de amor.

Não, não a amo fisicamente. Isso é paixão, termo clichê que se prende a atração.
Meus desejos carnais, de nada valem no amor que tenho.
É na alma, ecoa lá dentro.
Cada cromossomo chama teu nome.

Ainda dói aquela dor aguda,
Meus pêsames são insanos.
O quão errada estava pensando que amar significava ter.

Seriam vastos nossos céus, assim como nossas noites
Uma Lua e um buraco negro se alinhariam
Chocar-se-iam, se consumiriam
Como anti-matéria entrando em contato com matéria.
Colisão.

(...)

Pensei certa noite nesse amor. É insana a minha vontade de arrancar meu coração do peito e lhe entregar.
Penso. Haveria um lugar no espaço que armazenasse a intensidade? Se tudo perecesse e eu ainda estivesse aqui, haveria nós. Não havia duvida.
Tinha medo de deixá-la.
Tinha medo de esquecê-la.
Tinha  medo de perdê-la.
Recíproco como o chão que piso, instável.
Estão prestes a explodir.
Timidez ao tocá-la, está lá. Minhas maçãs enrubesciam.

De súbito houve o encontro dos lábios.
Foi terno, tímido.
Receio de tocar, de quebrar.
Minhas mãos tão cheias de vidas ceifadas tocá-la.
Far-me-ei distante do mundo ao machucá-la um centímetro que seja.

Ah, coração masoquista. Explique-me teus devaneios.
Farei jus a esse ato.

Bloquear-me-ei sentimentos ao vê-la.
Não poderei trazer-lhe flores, nem dizer que teus cabelos são bonitos.
Eu não poderei beijá-la, pois a pior parte disso é ter que deixá-la.

Sobre a noite, noite estrelada far-me-ei desfalecida
Pois se não posso ter teu amor, reivindicarei a vida
A Morte com sua foice irá me buscar
Com sua dor irá me afeiçoar
Pelos ventos a fora levara
A alma que um dia retornará
Ao teu encanto se desfar-se-ia
No prazer que é amar.

Sobre outros braços estará,
E meu coração trairá
Mas nunca apagará
O amor que está semicerrado
Permanecerá. 

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas