Tarde de Domingo



Em frente a minha janela recolhendo uma flor, lá estava ela. 
Em meio ao fenômeno natural denominado de crepúsculo.
Com seu vestido cheio de flores.
Com teu sorriso tão lindo, que me fazia arquejar.
Olhou. Olhamos.
Era incrível a conexão que tínhamos apenas por um olhar.
Ela se aproximou a janela. Onde, só o que nos separava era a mesma.
Coloquei minha mão sobre o vidro, e  com o mesmo movimento, ela fez o mesmo.
Ficamos nos olhando.
Tantas palavras na mente.
Tanta vontade de quebrar aquele vidro, aquele cheio de imperfeições, e tocá-la.

Teu olhar era tão intenso que era como se estivesse derretendo.

Mas não era só uma janela. Eram várias. E eu fui quebrando-as até chegar a você.
E no final, a distância é apenas um pequeno paradoxo que pode ser resolvido.
Eu não posso te ter aqui. Mais sei que do outro lado daquela janela você me queria.
Eu não posso te ter aqui. Mais posso te ter em minha mente.

Se você não pode alcançar as estrelas, deixem que elas venham a você.

- Oh, minha flor, meu amor. Você adoça o meu viver. 

Comentários

Postagens mais visitadas