Lágrimas no piano.


Jorrou sangue na tecla do meu piano. Foi incompreensível assim como todas as coisas do mundo. De onde veio? Eu não sei. Só sei que tocava, e enquanto tocava, vi. Senti em uma parte infinitésima que algo perfurava meu corpo. Não sei como senti, nem ao menos como vi, ou como aquelas gotas de sangue foram parar lá, mas perto de todas as inconstâncias que sentia, toda aquela dor, todas as coisas que passei, foi inócuo. O vazio me revestia como um véu, facilitando meus infortúnios - tudo era tão oco. Mas mesmo assim, me fez sentir ineficaz, inútil, não ser capaz nem de sentir a dor - aquela dor sem meio-termo. Antes ela, de forma infrene, me dilacerava, deixava resquíos, me deixava tão inepta. Mas, agora, simplesmente eu esqueci. Me esqueci como é sentir. Me faça lembrar.

Comentários

Postagens mais visitadas