O que faço com a saudade, Bailarina?


Bailarina,
Meu amor é pra toda vida
Só me abalam
Essas suas saídas.
Respiro sem pensar
Hesito sem piscar
E te amo sem precisar.

E tanto amor
Explode
E tanto amor
Absorve
É tanto amor
Não sei mais viver
Sem minha doce Bailarina.

E de tanta dor
Que tuas partidas me causam
Já parti este coração
Em cacos.
E não penso mais em te pegar pela mão
Só penso na morte constante
(Não nós deixemos morrer)

Às vezes acho que você se foi com a noite
Pra nunca mais voltar.

Só preciso de ti
Pra me encontrar
Pois sem ti
Não tenho vontade de ainda respirar.

Deixa-me mentecapta
Esses espaços sem vida
Sem as estrelas
Sem tua vida.
Sem tua luz
Sem a Lua
Sem constelações.
Sem eu, sem você.

Ah, tenho tanta saudade da minha Bailarina
Tenho saudade de florir
E amar.

Tenho saudade dos sorrisos
Passos intercalados pela doce melodia do meu piano.

Mas o que são esses sons
Sem tua visita?
Ficam tristes
E a beleza se esvai.

E o que sou eu,
Sem minha Bailarina?

Sou cacos, sou maços,
Sou dor, sou flor despedaçada,
Sou poeta sem musa,
Sou triste sem nossa música.
Sou um pouco, sou um resto,
Sou meio-termo do universo.
Sem você,
Eu sou nada.

Essa saudade tão amarga
Aos poucos destrói.
Essa desolação
Essa decepção
Esse amargor

Preciso dos teus olhos,
Preciso de teus lábios,
Preciso do Céu estrelado
Oh, céus, te preciso tanto.

Minha Bailarina,
Minha sina.
Minha Bailarina,
Minha rosa.
Minha Bailarina,
Minha morte.
Minha vida.
És tudo e mais um pouco.

Danseur, j'apprécie tant. Apportez-moi l'éclat de votre étoile noire, et venez, donnez-moi votre main pour durer une danse funéraire.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas