A arte de amar rostos.




O rosto
Reflete o porto
As lágrimas
Que caem à beira do cais.

O rosto
Reflete o doce
Que des-
manchou.

O rosto
Borrou-se
De dor
E agora tá cheio de cor
Borrada.

O rosto da moça
É um vislumbre
Da destruição
Em massa.

O rosto
É reflexo
Do
Universo
Paralelo
De
Coisas
Complexas
Que são complexas
E difíceis demais
Para se entender.

Rosto é poesia
Poesia é rosto
Prosa de rosto
Prosa de olhar.

Rosto é sobreposto
Maravilha-se
Aquele menino que passou na rua
E olhou para um rosto.

Rosto reflete a poesia interior,
Ou será
Que apenas
Um olhar irá de poetizar?
Eu gosto de pensar que o rosto poetiza.
Se tu nunca teve inspiração olhando p'rum rosto
Que atire a primeira pedra.

Rosto é um suvenir
Rosto se guarda.
Rosto se ama.

Teu rosto me chama
Clama-me
Incendeia-me
Faz-me de boba
Faz-me bamba

Eu fico meio tonta
Meio louca
Meio apaixonada
Que boba sou.
Teu rosto me faz assim
Desse jeitinho
Pois é tão belo
Que me deixa afim.

Não precisa
ser o mais belo
se refletir
a ternura
que há dentro.

Não precisa 
ser bonito
e nem perfeito
eu me pego
olhando 
e pensando:
Rostos, me apaixonam
Rostos me queimam
Rostos a distância
Eu quero teu rosto junto ao meu.

Aqui jaz
um rosto
cheio de lágrimas
por não ter outro
rosto 
para observar.

Comentários

Postagens mais visitadas