...Sobre estar só, eu sei.




''...Eras meu coração pequenino demais e amassavam as quatro paredes do meu peito os ritmos intocados do teu simples sentir.''

Para  mim
não há diferença
entre mim
e um terreno abandonado
que é deixado
de lado
e cheio de cardos
ao lado de dentes-de-leão
são emudecidos
assim como meu coração
jogados na sarjeta
da de-
solação
que se desbota
que apodrece
nesse
eterno
pesar
oh, grande lástima
amar e morrer
solitária.
É isso que sou
sou feita
de desamores
flores mortas
e solidão, e ah
quanta solidão
tanta mágoa num só lugar
tanta sensibilidade em um só coração
que é maltratado
pelo simples respirar
de teu vizinho
pulmão.
Urze, sozinha
urze, és o que sou.
Urze, meu nome
meu endereço
minha vida em capítulos.

Comentários

Postagens mais visitadas