Poeta Interrompido




Tudo virava poesia a partir de tuas belas palavras;
nunca sabia se estava recitando
ou falando normalmente.

Tuas palavras eram como seda,
elas dançavam pela minha mente,
ternamente.

Tocavam meu corpo
suavemente
e lentamente.

Eram madressilvas,
tulipas, orquídeas.
Inebriavam-me, oh poeta interrompido.

Faz-me musa de tuas palavras,
Faz-me inspiração pro teu belo coração.
 Que quero aprecia-lo, com palavras,
 Pois a distância é tão grande e constante.

Pois bem,
Tocarei meu rosto com as minhas mãos,
E ah, imaginarei que estas mãos são as suas.

Toque-me com palavras
Pois gestos estão além da utopia de voar
Beije-me, poesia.
Beije-me como nunca fui beijada
Torna meus desejos escondidos em
Problemas resolvidos.

Meu poeta interrompido,
Dizes-me que sou tua
Vós me agradastes desde o primeiro contato

Apaixone-me com palavras,
Que estas são mais belas
Que muita ação.

Provo-te, devoro-te em silêncio
Com minhas palavras
Permitiremos-nos amar
Sem rodeios.
E a distância nada vale,
Temos um ao outro,
Temos a poesia entrosada em nosso íntimo
Temos a poesia como desculpa
Para sermos loucos mentecaptos,
Sermos sonhadores e ao mesmo tempo,
desoladores.

E que mundo irá nos impedir
Nenhum, meu bem
E em que mundo iremos existir
No mundo dos sonhos, amor.

Espero que escrevas sobre teu amor, poesia
Eu te escrevo sobre amor, poema
Eu sou nós, meu poeta
sem interromper o tempo
sem apagar a memória
com calmarias nos morros
com sua nudez; através de palavras

Nossas cartas melancólicas,
Nossa nudez de flores
Nossas palavras intrínsecas

Nunca se entristeça,
Temos um ao outro, e a poesia
Para agradar os que, como nós,
Apreciam o amor por palavras
Como nós;
Penetram surdamente no reino das palavras.

Iremos fazer do céu
Nossa morada, eternamente
No reino das palavras.

Comentários

Postagens mais visitadas