All is full of love.


Quero o sossego de passar as tardes ao teu lado,
sentir o cheiro dos seus cabelos
segurar-te como se estivesse prestes a cair no abismo
ouvir tua voz grossa e aconchegante;
teu sotaque de Recife.

Beijar tua testa, 
abraçar-te
cuidar-te, 
mimar-te.

Oferecer-lhe minha mão para mais uma dança
oferecer-lhe meu corpo,
oferecer-lhe minha alma;
meu coração, meu amor por inteiro.

Permitir-me, pela primeira vez,
amar e ser amada.
Cuidar e ser cuidada.

Tudo se preenche com amor;
o vazio bem no meio do coração,
a alma é atingida de supetão.
o vago olhar de guria assustada que não tem aonde ir. 

Meu coração está tão duro
Boto-lhe um botão, uma renda, 
um tecido de flor ou de formas geométricas - que se encaixam-,
boto um fim no desespero, mas só
se estiver aqui, se compartilhar a vista 
que tenho do terceiro andar.
Compartilhar meias e travesseiros,
cigarros, cafés e camisetas
e me amar por inteiro.

Pega um avião,
vem, vem, vem para cá
atravessa meu céu 
como uma estrela cadente
que eu te espero contente.

Vem ocupar minha sala, 
meu quarto, minha cama
e minha poltrona. 
Enche meu guarda-roupa com
as tuas roupas.

Enche minha estante com teus livros
e vinis, com teus filmes
complete meu calendário do mês. 

Pinto um mundo no qual você está presente em todo poente, não numa praia mais na cidade áspera, fria, que tu tanto odeia - e eu também. Eu me abro no quadro e você me completa. Duas peças que se encaixam numa sincronia perfeita. Num quarto com a janela entreaberta, com a luz apagada e com as estrelas nos encarando. A Lua nos observa lá de cima... 
Eu te mostro todos os meus órgãos vitais e te dou um ticket para visitar minha alma e se demorar por lá. Fique pra sempre, nunca se vá.

Faço-lhe um bilhete, uma carta, dizendo que cada verso meu agora é para ti. E quero que saiba que ali, bem ali ou aqui, cá e lá, cá estou... e sou. E sou. E sou nós dois. 

Abstinente. Escassa. Amarga. Vazia. Enamoro-me com tua visão, com tua imagem em sonhos e lembranças. 

Ah, le petit chevalier... Clamo tua presença nessas noites, pois sem ti é hostil e sem graça. Você me enche de ternura, me preenche e eu transbordo você. Você, você, você. 

Amor, amor, amor, amor. All you need is love, oh, love is all you need babe.

(Eu preciso de você).

Em tempos de amargura, de ódio extremo e do amor que continua ardendo (doendo), você veio com teu jeito cortês e pôs-se a cortejar-me todas as noites, devagarinho, bem de mansinho... E me encantou.  Levou meu estoque de encanto pra tua casa e ali ficou. 


Mas eu só fico divagando, eu fico me enrolando... Eu me enrolo nas palavras. Eu viro milhares de nó. Um novelo de lã todo enrolado, um fio embaraçado. E, às vezes, desfio... Mas só quando o amor já não está no meio. E no meio de nós dois tem 2129 km de distância. E nesses tantos quilômetros, talvez, o amor se manifeste e fique, se estabeleça. 

Comentários

Postagens mais visitadas