Abril: Melancolia de outros anos



Dois caminhos, dois corpos,
duas bocas que nunca ousei selar;
uma desperta árduo desejo
já a outra, a ternura.

Um dia, um mês
dois corpos, dois rostos
dois destinos que nunca haverão de se realizar.
Uma semana foi o suficiente para o amor se entrelaçar.

Um dia que transborda memórias, remorsos,
vontades contidas, Sol e dança.
Sorrisos, embriaguez,
vocês.

Eles; meu eterno martírio,
meu soluço, meu mar,
minha vida de arrependimentos,
minha vontade, minha melancolia de abril.

Comentários

Postagens mais visitadas