''Miss Atomic Bomb''

Dançarei
enquanto Ella toca na vitrola enferrujada
com minha saia de rosas
farei teu coração amolecer e latejar.

Ensinar-te-ei,

como naquele abril florido
a acompanhar meu passo,
entrar na minha dança de
inconstância.

Rodar-me-ei numa órbita

particular só para atrair
o teu olhar. E despedaçar
teu órgão vital que é tão imenso
quanto o mar, quando eu partir.

Sentir-me-ei como Freya, uma deusa,

tão bela e autêntica, com os lábios entreabertos,
tão capaz de estraçalhar corações tolos. 
Tão capaz de amar; a si própria. 

Cegar-te-ei com meus encantos

Ah! Meu bem! Eu bem sei
como passar pela sanidade. 
Eu sei bem como encontrar os pontos fracos.

Tua fraqueza é refletida

nos olhos, que derretem
em contato com os meus, mel atômico. 
Meus lábios são vermelhos. 

Sob o Sol, meus cabelos rubros

vão ser tua perdição. 
E eu partirei, partirei deixando
o cheiro de violetas e teu mundo
no chão. 

Não leve a mal,

meu coração é corajoso 
mas tenho mais amor a lucidez
e a liberdade. 

Um só lugar não me apraz

meu corpo não dança uma só dança
e, não se ofenda, 
eu só cultivo amor, mas não se pode
segurar o Caos em mãos.

Eu sou uma bomba atômica.

Cuidado onde pisa, meu terreno
é minado. Minha luz cega. 
Meu coração é a galáxia. 
Meus cabelos chicoteiam como o Sol. 
Eu sou tóxica e não sou de ninguém.

Comentários

Postagens mais visitadas