A fúria, a indecisão e os outros sentimentos

I

Ardência na garganta
Passo, passo, passo
Ardência no peito
Engulo o amargor.

O vulcão sempre vai ser inconstante

pois é de sua natureza assim ser; explodir. 
O coração sempre irá sangrar quando furado
pois bombeia sangue, é carne. 

Indecisão

Minha moral.

Indecisão
Meus sentimentos.

Indecisão. 


Luzes verdes, azuis e vermelhas
Fúria do vulcão às 3h da manhã
As lavas começam a destruir tudo a frente.

Angústia depois do transbordamento 

grandes e constantes lamentos 
pela falta de controle. 

II


Agonia.


Por querer ser 

mais forte
a pressão 
me esmaga
como um rolo compressor.

Melancolia.


Eu ainda choro, 

saudosista,
pelas dores passadas. 

Tristeza.


A ambivalência

está me levando ao ponto de partida.
Meus ossos já são muito fracos
para se sustentarem sozinhos
depois de tantas oscilações cotidianas. 

Carência.


Queria sentir que não estou sozinha,

mas fazem questão em destruir 
minha confiança. 

Peso.


Eu carrego mais do que posso aguentar,

e sempre vou carregar metade do céu
nas costas.
Meu corpo, meus pensamentos
Ontem mesmo foi tão difícil respirar...

Fardo.

Fardo.
Fardo.

Comentários

Postagens mais visitadas