Extremidades que se unem

O ódio tece sua teia de amor
pois são tão tênues que não daria para identificar.
A mulher dos olhos avelã 
encontrou outro dos olhos semelhantes,e com
a alma tão profunda quanto os sete mares.
A mulher bomba atômica se apaixonou
por um homem que tem o coração de ouro maciço. 
Tão brilhante a luz dos dois que, quando juntos, 
quando unidos os corações em um abraço singelo,
daria inveja ao Sol com tamanha luminosidade. 
Eles criaram para si um planeta particular 
em seu filme de atuações dramáticas
com músicas faladas ao pé do ouvido
como declarações. 
E as fantasias de dançar como Ginger Roberts e Fred Astaire
se dividem com a certeza que será tão fatídico
tal amor como todos os casais trágicos da história do rock 'n roll. 
Amor-poesia-tragédia, como um romance-limite. 
Amor que tem nuances de jazz misturado com punk rock. 
Tão incerto e tão certo
como se já fossem molduras que se encaixam de alguma forma
mesmo que, aparentemente, sejam linhas paralelas. 
Mas ainda sim, ah, extremidades
que se chocam na noite efêmera
que leva tudo menos a memória. 

Comentários

Postagens mais visitadas